OColégio Americano de Medicina Esportiva (CAME) e a Associação Americana do Coração recomendam que todos os adultos participem de atividades físicas de intensidade moderada de trinta minutos pelo menos cinco dias por semana. Aqueles que cuidam de sua saúde podem ter dúvidas como “preciso ir ao médico antes de começar a me exercitar?” ou “isso é seguro?”

O CAME dá o seguinte conselho, adaptado do livro Diretrizes do CAME para os Testes de Esforços Sua Prescrição, sétima edição.

1. Quando é adequado ir ao médico antes de começar a praticar uma atividade física?
Para muitas das pessoas que querem começar uma atividade física, não é necessário fazer uma bateria de exames. Isso é verdade se a prática é de intensidade baixa ou média.
É recomendável uma abordagem de estratificação de risco para participação nos exercícios. O nível de riscos corresponde ao número de fatores de risco relacionados a doenças cardíacas que uma pessoa pode ter. Esses fatores (pressão alta, níveis anormais de colesterol, histórico familiar de doenças cardíacas, dependência a nicotina, obesidade e tolerância anormal a glicose) podem indicar perigo no início da prática de uma atividade física. No mínimo, adultos que estão para começar uma atividade física devem fazer uma auto-avaliação utilizando questionários populares como o Questionário de Prontidão para Atividade Física (veja versão básica abaixo). Um questionário como esse é fácil de utilizar e ajuda a determinar se a pessoa pode iniciar uma atividade física de forma segura. Os resultados da auto-avaliação irão determinar se liberação médica é útil e/ou necessária antes de iniciar a prática de uma atividade física.

– Questionário de Prontidão para Atividade Física
1. Você corre algum risco cardíaco e foi aconselhado a somente praticar atividade física sob recomendação médica?
2. Você sente dores no peito quando pratica atividade física?
3. No último mês, você sentiu dores no peito quando não estava praticando atividade física?
4. Você se desequilibra por causa de tontura ou tem perda de consciência?
5. Você tem algum problema nas articulações (por exemplo, nas costas, no joelho ou no quadril) que pode piorar se houver uma mudança na sua atividade física?
6. Atualmente, você toma remédios (por exemplo, diuréticos) para regular sua pressão ou por algum risco cardíaco?
7. Você tem algum outro motivo para não praticar atividade física?

Se você respondeu sim para uma ou mais perguntas, vá ao médico antes de se tornar mais ativo fisicamente ou antes de uma avaliação da aptidão física.

2. O tipo de exercício é um fator?
As pessoas que pretendem praticar uma atividade física devem começar com uma intensidade baixa ou média e aumentar gradualmente de acordo com sua preferência. O objetivo mínimo deve ser de trinta minutos de exercício de intensidade média, cinco dias por semana. Recomendações de estratificação de risco se aplicam a pessoas que estão começando uma atividade física.

3. Isso é relacionado à pressão alta ou outras doenças?
Pressão arterial alta, também conhecida como hipertensão, é uma condição perigosa se não for tratada. A prática regular de atividade física pode ajudar a baixar a pressão em longo prazo. No entanto, pressão alta não tratada pode piorar com exercício e, logo, é uma exceção à abordagem de estratificação de risco. Portanto, o CAME recomenda que pessoas com histórico de pressão alta devem ir ao médico para uma avaliação médica completa antes de iniciar uma atividade física. Seu médico saberá quais testes adicionais podem ser necessários.

4. A idade ou o sexo da pessoa também importam?
Idade e sexo são dois fatores que aumentam o risco de uma pessoa ter uma doença cardíaca. Mulheres de 55 anos ou mais e homens de 45 anos ou mais são geralmente mais propensos e podem precisar ir ao médico antes de iniciar a prática de uma atividade física. Os questionários de auto-avaliação irão ajudar a determinar isso.

5. Quando não há problema em não ir ao médico antes de praticar atividade física?
É importante que seja o mais fácil possível uma pessoa inativa se tornar ativa, mas também é importante que essas pessoas façam isso de forma segura. Se os resultados dos questionários de auto-avaliação não indicam uma necessidade de ir ao médico, não há problema em começar a melhorar sua saúde trabalhando para alcançar o objetivo de exercitar-se trinta minutos por dia.

– Escrito para o Colégio Americano de Medicina Esportiva por Harold W. Kohl, Ph.D., FACSM – Tradução: Mariana Tiemi Lorandi (UniSantos)