“Já agradeço a atenção de vocês! Caros amigos, gostaria de perguntar a vocês algumas dúvidas a respeito das pegadas na barra fixa 1- treinando na barra é quantas pegadas eu teria que modificar; e quais são elas ou de forma terei que ver o meu treinamento para eu mesmo calcular esta modificação / 2- a minha barra fiz eu adaptei uma forma de pegada que me parece a w de forma ; comprei 2 presilhas de cabo de aço 1 Pol e mandei fazer 2 argola 20 cm dm; adaptei na barra ,como as argolas ficam soltas , o próprio corpo da o ângulo da pegada w (mãos) , será que seria uma ilusão da minha parte? e aí nasce as dúvidas ; de pegadas como poderei montar series sem repetir músculos já treinados na série anterior /3- a pegada w pode ser combinada com quais outras pegadas? a série escadinha que consiste em aumentar e as repetições 1 uma repetição 2 duas rep. 3 três rep. sera que entra também no meu treinamento de barra.

Barras Paralelas tentei fazer uma adaptação , dois canos encima da minha barra paralela indo até ao chão , na visão geral parece com corrimãos de escada, assim tento fazer paralelas com esta caída m a minha dúvida é que se seria anatomicamente perfeito movimento , eu fico de frente para o lado mais baixo forçando um pêndulo para que meu corpo pro metade a frente força no os tríceps, senti que deu certo mas senti os ombros? será que estou sendo claro? Tenho 108 Kg, 1,67mt , + – que prático este aparelho, dúvida tenho aos montes, treinar sozinho não é fácil , mas o desafio ainda me cativa.” – André

 

Resposta: Prof. Eugênio Koprowski
Prof. Eugenio KoprowskiOlá amigo,

Em relação à Barra Fixa, as pegadas diferenciadas podem refletir em mais conforto e melhor agarre em função das alavancas ósseas individuais. Esta situação implica em melhor sensação de  trabalho muscular. As pegadas tradicionais na Barra Fixa são duas: Com as mãos em supinação (como na rosca), e em pronação (palma das mãos para a frente).Nas duas pegadas os músculos mais solicitados são os Dorsais, Redondos, infra – espinhais e flexores do cotovelo (bíceps braquail e braquiradial). Quanto maior a distância entre as mãos, mais ênfase sobre os dorsais, redondos e infra espinhais. Naturalmente, rombóides, trapézio, deltóide posterior e eretores da coluna participam do movimento mas com menos ênfase. A pegada mais fechada em supinação possibilita enfatizar o trabalho do bíceps. Elevando o corpo por trás próximo à nuca, além dos músculos citados, irá implicar em maior participação do trapézio.

As paralelas são excelentes para trabalhar o grande peitoral com profundidade pelo alongamento, mas também ativa com profundidade o deltóide, notadamente a sua porção anterior e o tríceps. Para que haja maior ação do peitoral, incline ligeiramente o corpo para a frente e faça o movimento até o completo alongamento. Caso queira enfatizar mais o tríceps, mantenha o corpo ereto e faça com que o movimento seja realizado apenas pela ação do cotovelo, ou seja, desça parcialmente. É necessário ir experimentando, até encontrar o ponto em que se sinta o maior recrutamento muscular.

Tanto a paralela como a barra fixa, possibilitam a elevação das pernas o que resulta em um completo e excelente exercício abdominal.

Abração!
Eugênio Koprowski