Atividade física é reconhecida atualmente como um importante estímulo para a saúde e bem-estar das pessoas, em todas as fases da vida. Mesmo com uma vida fisicamente ativa, na medida em que as pessoas se afastam da juventude o organismo começa a apresentar sinais de desgastes nas articulações e algumas doenças crônicas ficam mais prevalentes. Com frequência essa situação exige medicamentos e cuidados nos esforços físicos. Os exercícios realizados em aparelhos para musculação, conhecidos como exercícios resistidos, têm sido identificados como os mais eficientes e seguros nas situações em que o organismo apresenta fragilidades em geral.

Entre os efeitos da musculação os estímulos para o fortalecimento dos ossos, músculos e tendões são muito importantes para quem começa a apresentar processos degenerativos no aparelho locomotor, diminuindo o risco de fraturas e permitindo, na maioria das vezes, o controle de dores nas articulações e na coluna vertebral. Em idades mais avançadas a musculação permite a realização confortável dos esforços da vida diária, diminui o risco de quedas e preserva a autonomia das pessoas. O efeito de estimular o aumento da massa muscular e do metabolismo basal compensa a tendência em contrário própria do envelhecimento, contribuindo assim para controlar a gordura corporal e manter a boa forma do corpo. Os exercícios de musculação têm sido identificados como os mais eficientes para induzir o organismo a produzir substâncias anti-inflamatórias naturais, ajudando a evitar ou tratar a aterosclerose, o diabetes, a hipertensão arterial, as doenças autoimunes e alguns tipos de câncer como os do intestino e das mamas.

Outro aspecto que justifica a indicação da musculação para pessoas com saúde comprometida é o alto grau de segurança geral. Uma qualidade dos exercícios de musculação é que os pesos e os cursos dos movimentos podem ser adaptados para as condições individuais. No caso de dores articulares os pesos podem ser muito leves para não agravar a situação e as amplitudes dos exercícios podem ser adequadamente reduzidas para o mesmo objetivo. Doenças cardiovasculares geralmente exigem que os esforços não sejam intensos e que os movimentos não sejam muito repetidos, o que é facilmente conseguido na musculação. O risco de lesões é muito reduzido porque os aparelhos colocam as pessoas nas posições mais seguras possíveis e os movimentos são programados e lentos, sem torções, acelerações ou desacelerações bruscas.

Por muitas razões a musculação deve ser considerada como o tipo de exercício mais importante para todas as pessoas.

Todos esses aspectos dos exercícios resistidos são explanados com objetividade e referências bibliográficas no livro “Musculação em Todas as Idades” (Editora Manole – 2012).

As adaptações da musculação em situações de saúde comprometida exigem conhecimentos específicos. O Instituto Biodelta promove desde 1996 cursos de pós-graduação em musculação terapêutica e musculação adaptada para doenças, lesões e debilidades, oferecidos diretamente pela instituição ou com parcerias universitárias como a Faculdade de Medicina da USP, Escola de Educação Permanente do Hospital das Clínicas da FMUSP e atualmente a UNIP – Universidade Paulista. Esses cursos formaram até a presente data mais de 4.000 profissionais entre fisioterapeutas, educadores físicos e médicos. Esses profissionais tiveram a formação adequada para atuar com competência em musculação terapêutica e musculação adaptada.

O site www.treinamentoresistido.com.br é um serviço de utilidade pública do Instituto Biodelta que divulga temas atualizados de interesse geral sobre musculação, além de informações sobre cursos, congressos, profissionais e instituições.