A alimentação é importante para otimizar e ajudar no desempenho do exercício. Já os antigos gregos acreditavam que o consumo de proteína era importante para os atletas. Tais ideias são vistas, hoje, especialmente com relação a esportes de resistência, nos quais a recomendação de proteínas para seus praticantes é maior do que em indivíduos não praticantes de atividade física (HAUG; HOSTMARK; HARSTAD, 2007; ROY, 2008).

O leite e os produtos derivados dele representam ótima fonte de proteínas, lipídios, aminoácidos, vitaminas e minerais. O leite com baixa quantidade de gordura possuí muitos nutrientes, o que o torna um boa opção de bebida após a atividade física (BOS et al, 2003; ROY, 2008).

Contém carboidratos (lactose), nutriente importante que é utilizado como energia pelo músculo, proteínas como a caseína e o soro de leite em uma proporção de 3:1, o que diminui a digestão e aumenta a absorção dessas proteínas, resultando em elevada concentrações de aminoácidos. Além disso, possui uma grande proporção de aminoácidos de cadeia ramificada que têm um papel importante no metabolismo muscular e na síntese de proteína e tem naturalmente eletrólitos, importantes pois são naturalmente perdidos com a transpiração e ajudam na recuperação de líquidos após o exercício (BOS et al, 2003).

LEITE - um alimento importante para quem pratica atividade física

Shirreffs et al, 2007 verificaram que a excreção urinária durante o período de recuperação foi maior em indivíduos que consumiram outras bebidas para se hidratarem enquanto que nos indivíduos que consumiram leite não houve perda hídrica pela urina. Sugere‑se que os nutrientes presentes no leite como sódio e potássio sejam responsáveis pela eficácia no re‑estabelecimento do balanço hídrico após uma desidratação induzida pelo exercício.

Elliot et al (2006) investigaram a influência do consumo de diferentes quantidades de gorduras do leite (leite integral, semi desnatado e desnatado ) sobre resposta metabólica a proteína e avaliaram a quantidade de aminoácidos após 5 horas de exercício de resistência. Todos os tipos de leite resultaram em um aumento significativo na quantidade de aminoácidos. O que confirmou que o metabolismo de proteínas foi reforçado com uma dose de leite após o exercício de resistência.

Outro estudo, ao comparar a quantidade de aminoácidos após a ingestão de 500 ml de leite desnatado com uma bebida de soja verificou que a bebida à base de soja foi digerido e absorvido muito mais rapidamente levando a um aumento rápido de aminoácidos em grandes concentrações no sangue. Já com o leite desnatado o aumento no sangue de aminoácidos foi mais lento e permaneceu elevada por um período maior, proporcionando uma maior quantidade de aminoácidos para a síntese protéica muscular esquelética (BOS, 2003).

Com base nestas características do leite, tem crescido cada vez mais o interesse e a indicação como uma bebida para repor os nutrientes perdidos em exercícios de resistência e de força.

 

 


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
BOS, et al. Postprandial kinetics of dietary amino acids are the main determinant of their metabolism after soy or milk protein ingestion in humans. Journal of Nutrition, v.133, p.1308-1315, 2003.

ELLIOT et al. Milk ingestion stimulates net muscle protein synthesis following resistance exercise. Med Sci Sports Exerc, v.38, p.667-674, 2006.
HAUG,A;HOSTMARK,A.T;HARSTAD,O.M. Bovine milk in human nutrition – a review. Lipids Health Dis, v.6, n.25, 2007.

ROY, B.D. Milk: the new sports drink? A Review. Journal of the International Society of Sports Nutrition, v.5,n.15, 2008.

SHIRREFFS, S.M; WATSON, P; MAUGHAN, R.J. Milk as an effective postexercise rehydration drink. Br J Nutr2007, 98:173-180.