Atualmente a musculação se tornou um meio de prevenção e manutenção da saúde muito procurada por diversos públicos. Além é claro da busca pela estética, que basicamente seria a conseqüência da pratica adequada da musculação, aliada a uma dieta especifica. O treinamento de força tem-se demonstrado como o mais eficiente para o aumento da força (American College of Sports Medicine, 2009) força essa necessária para manutenção da qualidade de vida, massa muscular e ganho de condicionamento físico.

Desde o começo até os dias atuais pouca coisa mudou em relação à musculação, vários “novos” métodos foram criados por entusiastas, mas a boa e velha musculação continua a mesma, pelo menos por quem a conhece e estuda com responsabilidade. Mas vamos nos ater a musculação de verdade, e não as “macaquices” e “malabarismos” que surgem com o tempo e do mesmo jeito desaparecem.

Voltando a estética e força muscular, esta modalidade que se pode dizer que é mãe de 99% dos esportes, pois faz parte da preparação física de quase todos, também é praticada por pessoas que visam apenas melhorar sua forma física e/ou qualidade de vida, além é claro dos fisiculturistas, a quem devemos muito, pois é neles que tudo de novo é testado, para que depois seja utilizado nas academias por nós meros mortais.

E toda a arte da musculação depende do professor ou técnico que prescreve a série, que necessita muito cuidado para atender não só o atleta, mas também ao aluno nas academias. Visando uma melhora no condicionamento e forma física dispomos de vários métodos para utilizar nas series, nos quais a grande maioria foi observado e descrito por Joe Weider na década de 40, que são utilizados ainda hoje e com ótimos resultados.

Joe Weider e Dave Mastorakis. Foto: arquivo joeweider.com

Um deles e bastante popular no meio das academias é o Drop Sets, que foi descrito por Weider da seguinte maneira: sets descendentes, ou dropsets, envolvem trabalhar à falha muscular em um set e logo em seguida a redução do peso e continuar a fazer mais repetições. O método padrão para fazer isso é reduzir o peso, o suficiente para que você possa completar um número semelhante de repetições novamente. Isso se estende num conjunto de trabalho em dois conjuntos vigorosos, aumentando o hormônio do crescimento e incentivando o crescimento muscular.

 


Bibliografia:
STOPPANI, Jim. Enciclopédia de musculação e força. Porto Alegre: Artmed, 2008.
American College of Sports Medicine position stand: Progression Models in Resistance Exercise for Healthy Adults. Medicine and Science in Sports and Exercise (2009) 41(3): 687-708.